(Review OldSchool Digger) Dynamite Headdy, do Mega Dyna1

Alguns jogos são feitos com tanto capricho e competência que conseguem marcar sua presença e insuflar um sopro de originalidade mesmo em um gênero supersaturado e com títulos a exaustão, como foi o caso dos jogos plataforma em meados dos anos 90. 
Lançado em 1994 pelo estúdio Treasure para o Mega Drive e transbordando originalidade, "Dynamite Headdy" é um notável- e divertido- caso desses.
História e Roteiro

(Review OldSchool Digger) Dynamite Headdy, do Mega Dyna3

"Dynamite Headdy" é um daqueles casos de uma história a primeira vista habitual, mas que surpreende por alguns elementos meio dissonantes ou até esquisitos na mistura. O enredo de "Dynamitte Headdy"a primeira vista é bem simples, uma fábula fantasiosa e colorida onde um rei fantoche pretende dominar o mundo das marionetes e a única chance de salvação para todos está nas mãos (ou seria na cabeça?) de um heroico bonequinho chamado Headdy.
Aí a coisa começa a ficar um pouco mais sombria... o rei marionete se chama Dark Demon (bem pesado para o clima  aparentemente engraçadinho do jogo) e logo no início Headdy é derrotado e vê sua vila ser destruída e incendiada. Além de ter falhado em proteger seu lar, Headdy ainda é capturado por um dos androides de Dark Demon.
Após conseguir escapar  e liderar a fuga de um grupo de prisioneiros, Headdy agora vai em busca da forra, tentando jogar por terra os planos do rei fantoche metido a conquistador de uma vez por todas.
O grande lance de "Dynamite Headdy" é que nunca fica bem claro se é de fato uma aventura de verdade ou um show de marionetes apresentado a um público, sendo na verdade tudo encenação... as fases se parecem com um palco, com cenários sendo montados ou trocados na hora (ou mesmo caindo), ou então se parecem com aqueles grandes galpões dos estúdios de cinema hollywoodianos de antigamente, com contra-regras e ajudantes estendendo o tapete naquele exato momento- em um determinado momento aparece até uma orquestra tocando ao vivo a música da luta contra um dos chefes de fase!
E preste atenção na tela de "Game Over"! Tem um cartaz meio rasgado na parede onde as quatro primeiras fases do jogo são listadas como os atos de uma peça teatral!
Por outro lado a destruição parece bem real, o próprio cenário estando remendado em alguns pontos e chegando a se partir em pedaços, com ajudantes caindo junto dos destroços e fragmentos ou ficando emaranhados em cabos. Fica de fato difícil dizer se tudo é real ou não- o que é, aliás, um dos charmes do jogo!
(Review completo em http://oldschooldigger.blogspot.com/2018/12/dynamite-headdy.html )